Resenha 16 | Cerberus - Entre Cobras e Ursos

em 3.1.14
Título: Cerberus - Entre Cobras e Ursos (Livro 1)
Autor: Leonardo Monte
Editora: Novo Século - Selo Novos Talentos da Literatura Brasileira (2011, 461 páginas)
Sinopse: O terror está instituído pela fome, pela doença e pela miséria humana... A esperança como uma vela de pavio curto... morrendo... aos poucos. Canibais, Calabans, Mordecais, Pashits, Ankh-o-rus, Beliahs, Banshees, licantropos e toda sorte de criaturas que antes só existiam em nossos mais terríveis pesadelos vagam pela Terra indiscriminadamente... destruindo, aterrorizando... e, às vezes, até convivendo conosco em uma relação de total dominância... Cidades viraram ruínas... As pessoas voltaram a viver em vilarejos e feudos, sem um poder central, servindo a governantes tiranos e sanguinários que as exploram cada vez mais e mais... O medievo voltou... A era das trevas flagela novamente a Terra... A humanidade está a ponto da extinção... Em um ato de desespero, o Vaticano decidiu criar em diversos lugares do mundo as Academias de Caçadores... No Brasil criou-se a Cerberus... Nesse sombrio lugar, dominado pela fé cega e padres ortodoxos, corredores escuros e úmidos, luz de velas e treinos sangrentos, calabouços e forcas, encontraremos alguns de nossos personagens: crianças doadas em suas primeiras semanas de vida para transformarem-se em caçadores de extraplanares... Passarão oito anos de duras provações até sagrarem-se dignos... ou perecerão no caminho? Os fracos não servem a Cerberus... Você está preparado?
  
Resenha

Cerberus – Entre Cobras e Ursos foi um livro que tive o prazer de conhecer ao estabelecer parceria com seu autor, Leonardo Monte. Eu o li em 2013 e a cada página me vi completamente encantada pela maestria da narrativa dele!

O livro apresenta um contexto pós-apocalíptico, no qual o mundo sofreu danos severos provenientes de guerras e desequilíbrios ecológicos. Todo o cenário é incrivelmente caótico e Leonardo Monte não hesita em torná-lo ainda pior em nosso imaginário ao destacar todo o terror que os personagens sentem diante dos desafios que enfrentam.

Além da escassez severa de alimento e água, o planeta sofreu também um desequilíbrio espiritual que trouxe seres de outros planos para a nossa dimensão (denominados extraplanares). Em sua maioria, estes seres são demônios com diferentes graus de periculosidade. Alguns detêm poderes parapsíquicos, outros são fortes o suficiente para temê-los e todos, sem exceção, procuram manipular as emoções humanas. Só é manipulado aquele que não tem fé, mas como tê-la num mundo aparentemente abandonado por Deus?

É nesta realidade que conhecemos Renan, o personagem central da história. Ele é um adolescente de 11 anos, que estuda em uma das quatro grandes escolas formadoras de caçadores dos seres extraplanares: a Cerberus. Esta escola é localizada no Brasil, onde tive o prazer de identificar que alguns elementos da nossa cultura permaneceram, tais como nossas reações passionais e o intenso desejo de sobrevivência.

Esse era o mundo em que viviam, a realidade de que faziam parte, e não havia espaço para os mais fracos. Só os merecedores permaneciam em pé. (p. 81)

Considerando que a fé é a principal arma contra os seres extraplanares, capaz de exorcizá-los, os padres são tão importantes quanto os guerreiros que usam sua força e habilidade de luta. Esse é um dos elementos que mais gostei no livro! Os padres demonstram a necessidade de manter a fé neste universo caótico, o que me fez torcer para que os guerreiros nunca se permitissem desacreditar na possibilidade de melhora do mundo. Em contrapartida, Leonardo Monte não hesita em apresentar outra face da fé: em meio a tantas catástrofes, manter a fé é fruto de batalhas intensas contra a própria tendência de cair em desesperança e descrença. Assim, senti por diversas vezes que os padres eram também guerreiros por manter sua fé diante de tantas desgraças.

A princípio, questionei-me por que somente a religião católica foi a que prevaleceu no mundo depois das catástrofes, mas o autor responde a essa indagação no decorrer do livro (e de um jeito bastante crível). Outro elemento que, para mim, foi responsável por tornar a leitura deste livro bastante agradável é a qualidade dos seus personagens! Há muitos personagens realmente envolventes neste livro. Destaco o Verber, grande exemplo de liderança, e o João Pequeno, grande exemplo de equilíbrio entre força e empatia.

Gostei muito de reconhecer que, para lutar contra os seres extraplanares, o ideal é formar um time composto de: um corso, um armeiro, um padre, um cão de guerra e um artilheiro. Eu adorei tudo o que era relacionado aos cães de guerra! Não se tratam de animais, mas de guerreiros cuja força e ousadia são maiores que o normal:

Cão de guerra é o coração do seu bando, é saber manter-se em pé quando todos já caíram e conseguir segurar porrada no lugar de seus companheiros não apenas para que possam completar a missão, mas porque eles não aguentariam. Só nós, os cães de guerra, aguentam! Podemos não ser gênios, e olha que já vi muitos cães que poderiam ensinar filosofia, mas precisamos ter inteligência e sensibilidade para medir situações e agir sob pressão. Ser cão de guerra é manter o grupo unido, porque ele é o elo forte. Entenda isso e verá um serviço sagrado. (Borges, p. 58-59)

Tem como não admirar os cães de guerra depois desta explicação? Sério, tudo o que eles fizeram foi incrível do início ao final do livro. Merecem mesmo ter seu próprio grito de guerra: Codadh! Outro elemento que achei interessante é que os personagens centrais não conheceram o mundo tal como era antes, de modo que nunca viram produtos industrializados ou luz elétrica.

– Sabe que encontrei uma vez uma revista...
– O que é revista? - quis saber Renan.
– É como se fosse um livro, mas não ensina muita coisa. Lá estava dizendo que, antes do mundo seguir adiante, as pessoas que trabalhavam com ciência médica eram as mais bem-pagas com papel-moeda (...).
– Sério? Os padres cobravam papel pra fazer isso? (...)
– Não eram padres, mas pessoas que só estudavam isso. (p. 283)

Cerberus – Entre Cobras e Ursos foi, para mim, uma das melhores leituras de 2013! Sua narrativa é em terceira pessoa, mas a cada início de capítulo temos um ou mais parágrafos narrados pelo Renan. Gostei bastante dessa estrutura. Destaco que o Leonardo Monte tem um jeito de narrar bastante masculino (haha). Os termos de baixo calão renderam ótimos momentos de diversão e descontração em ocasiões muito tensas para os personagens. Um equilíbrio que considerei necessário para não tornar desgastante esta leitura.

A única característica negativa do livro (e não a atribuo ao autor) foi a má revisão realizada pela Novo Século. Muitos erros ortográficos e gramaticais podem ser flagrados e, embora não reduzam em nada a qualidade da história, poderiam ter sido evitados pela Editora. O projeto gráfico também deixou a desejar quando, em alguns momentos, não separou os parágrafos em primeira pessoa da narrativa em terceira pessoa, deixando-os misturados indiscriminadamente. A capa, no entanto, é maravilhosa!!!

Avalio positivamente a obra, que ingressou entre as minhas favoritas.

Avaliação:


Aproveito para informar que Cerberus - O Diabo Pede Carona, o segundo volume da série, será lançado pela Editora Literata e já conta com uma capa de tirar o fôlego:



Gostou da resenha?
Que tal adquirir o livro autografado, com dedicatória e por um preço especial? ~ Cerberus - Entre Cobras e Ursos está por R$ 39,90 nas livrarias, mas você poderá comprá-lo por apenas R$ 25,00 (com frete incluso)! Esta é uma oportunidade que o próprio autor, Leonardo Monte, está oferecendo aos seus leitores. Basta enviar e-mail para ele (contatocerberus@hotmail.com) e mencionar que viu a promoção aqui no My Queen Side.

23 comentários:

  1. E agora eu tenho um blog para poder assinar meus comentários! Uhuu! *-*

    Realmente, a abordagem do livro parece tão interessante quanto descreveu! Mas chega a ser um pecado eu acompanhar seu blog, pois a cada nova resenha eu quero um livro novo! O que fazer? XD É muito legal ver esse outro lado da moeda, como uma população iria reagir no meio ao caos sem conhecer as mordomias que temos hoje em dia. Como fica a comunicação que, atualmente, está perdida? Nós sequer nos imaginamos sem internet, pense o que seria para nós, seres apegados a modernidade nesse universo? Ver como tudo poderia ser é incrível e está me dando cócegas de curiosidade! *-*

    Vamos começar então 2014 colocando mais um livro na lista. E a culpa é sua, kk

    Beijão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. brother eu li
      o livro te trás a basicamente de volta a idade média
      onde a maioria (se ñ todos eu ~me recordo muito bem) nunca presenciou como é o nosso mundo hoje por isso pra eles as coisas q temos ñ fazem falta ate pq eles nunca conheceram.

      Excluir
  2. Faz um tempo que quero ler este livro :o Mas até o momento não consegui, ansiedade a mil o// HEHE Boa resenha *-*

    http://umgoledeutopia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi, Francine (Feliz 2014!)

    Fiquei muuuito interessado pela obra. Também, depois de uma resenha fantástica como a sua. E você sabe que eu gosto de histórias pós-apocalípticas.

    A capa é realmente muito bonita, e sombria ao extremo, o que eu, particularmente, adoro.

    Quando li que "o mundo seguiu adiante", lembrei-me imediatamente da Torre Negra, de Stephen King, pois esse termo é usada infinitas vezes em todos os volumes da obra.

    Cerberus já está na minha lista de desejados.

    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Eu confesso que nao sou muito fã desse tipo de livro, que tem o tema "apocalíptico" mas é pq gosto mais de romance, tipo Nicholas Sparks...rsrs
    mas gostei da resenha e deu vontade de ler o livro e conhecer o mundo pós-apocalíptico criado pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Heey!! Amei a sua resenha!! Sempre tive vontade de ler este livro!! Parece ser muito bom!! Principalmente com um tema pós-apocaliptico - acho que é assim que se escreve rsrs'.
    Beijos!!
    Misael
    http://devoradoresde-livros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Adoro livros com esse tema, ja tinha visto o livro mas nem tinha parado pra ver direito, ja quero demais ler esse livro.. *-* adorei a resenha, quando será lançado o segundo livro? ja quero é os dois livros...rsrs

    ResponderExcluir
  7. Baah! Primeiro aproveitei todo o mistério da sinopse para me apaixonar em seguida por sua resenha que foi simplesmente fantástica *-*
    Estou nesse clima de distopia com casos cada vez mais interessantes e posso dizer que quero muito ter a oportunidade de ler já que depois que terminar meu Manel Loureiro (A irá dos justos) vou ficar sem ler nenhuma distopia e Cerberus está perfeito <3
    Beijinhos.

    ResponderExcluir
  8. Oie :)
    Já conhecia o livro, mas ainda não tive oportunidade de ler. J´á li inúmeras resenhas dele e todas foram super positivas. Confesso que estou super curiosa para ler o livro.
    Beijos
    http://cupcakedeletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Quando li na capa "O destino os fez guerreiros, a amizade os fez irmãos, o sangue os fez heróis" eu pensei "Preciso ler este livro". Acho que quando você bate a cara em um livro e logo pensa assim é porque algo tem de especial. Não o conhecia, fomos apresentados agora e já estou doida para poder lê-lo. Meu gênero preferido é este (e antigamente, imagina, antes de começar a ler o gênero eu tinha preconceito :O acabei pagando a língua), e acho que não vou me decepcionar. Cenários pós-apocalípticos são tão <3, não pela desgraça e tudo mais, mas porque despertam em mim um lado diferente, tenho medo que o mundo se torne assim, mas quanto mais eu leio mais eu sinto que estou "preparada", não vai ser uma surpresa se isto acontecer.
    Fiquei um pouco triste por causa da má revisão do livro, com uma capa tão linda e provavelmente uma historia fantástica, deveriam ter tido mais cuidado, mas como você disse, não reduzem a qualidade do livro, então tudo bem. =)

    ResponderExcluir
  10. O livro parece interessante, mas por que o mundo virou esse caos, o livro explica?

    ResponderExcluir
  11. O livro parece bastante interessante, misturando um mundo pós-apocalíptico com seres sobrenaturais. Também pareceu interessante essa história de eles não conhecerem luz elétrica ou revistas, fiquei curiosa para saber como é seu dia-a-dia.

    Abraços!
    http://contosdemisterioeterror.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. É novidade juntar um clima pós apocalíptico com os seres sobrenaturais, e eu fiquei mto curiosa para ler o livro, pq simplesmente amo esses seres nas histórias. O livro já está na minha lista de compras faz tempo, quem sabe esse ano sai? (td depende das livrarias e suas promos =P).

    Miquilis: Bruna Costenaro

    ResponderExcluir
  13. Muito legal a ideia do autor de fazer um livro pós-apocalíptico no Brasil, adorei o tema. Para ser o tipo de livro que você passa horas lendo e nem percebe!

    ResponderExcluir
  14. Ótima resenha, fiquei com vontade de ler o livro. Parece o tipo da história que te p´rende do começo ao fim!

    ResponderExcluir
  15. Muito interessante! Tô precisando ler uma distopia "diferenciada"... Muito legal essa ideia!! :)

    ResponderExcluir
  16. Já tinha visto esse livro mas ainda não li, a ideia de mundo pós-apocalíptico me agrada bastante, esse enredo ficou bem interessante, acho que vai ser um livro que irei gostar com certeza!

    Abraço,
    Diego de França
    http://leitorsagaz.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  17. Leonardo Monte tem recebido críticas construtivas e significativas por causa do primeiro volume de Cerberus. Um autor que inova o conceito de literatura ao trabalhar com o sobrenatural e um mundo pós apocaliptico em terras brasileiras. A sinopse é chamativa e brilhante!!!
    Fiquei curioso para descobrir como é a vida dos jovens nestas academias de caçadores!

    ResponderExcluir
  18. Todas as críticas que vi do livro foram positivas, temática muito interessante. Mesmo o gênero mais "fantasioso" não sendo o que eu mais gosto, alguns livros me chamam atenção principalmente quando tem essa abordagem pós-apocalíptica. Muito legal super queria ler!

    ResponderExcluir
  19. Que maravilha de livro! Foi um prazer imenso pra mim, conhecer este livro e ver que é tão bom e interessante. Achei a estória dos seres extraplanares bem legal e super diferente. Com certeza vou tentar ler este livro e vou me aventurar com o personagem. beijos.

    ResponderExcluir
  20. Oi Fran,
    tudo bem?
    Eu tive muita dificuldade de resenhar esse livro. O impacto (palavra que também usei em minha resenha) foi muito grande. Todos os personagens são fortes, com dramas muitos densos. Impossível escolher um deles.Por isso entendo perfeitamente o sentimento que sentiu com essa leitura.
    Gostei muito do argumento que usou sobre a fé, eu não cheguei a abordá-lo da forma como fez. Mas agora refletindo, acho que deve ter sido muito difícil para eles, a Igreja não repara ninguém para enfrentar esses demônios. Acho que nada nos prepara para o que cada um deles viveu.
    Ficaria dias falando sobre o livro sem cansar.
    Adorei sua resenha, matou um pouquinho da minha saudade do livro.
    beijinhos.
    cila-leitora voraz
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  21. Meus parabéns! Amei a maneira que vc usou para se expressar, me fez se interessar pelo livro....mas vc já leu o livro reverso... se trata de um livro arrebatador...ele coloca em cheque os maiores dogmas religiosos de todos os tempos.....e ainda inverte de forma brutal as teorias cientificas usando dilemas fantásticos; Além de revelar verdades sobre Jesus jamais mencionados na história.....acesse o link da livraria cultura e digite reverso...a capa do livro é linda ela traz o universo como tema.
    www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?

    ResponderExcluir

Que tal deixar seu comentário?
Fico sempre muito feliz ao ler as opiniões dos nossos leitores. Se tiver um blog, informe, pois será um prazer retribuir sua visita.

Posts Relacionados
Posts Relacionados